Por que as pessoas fazem uma cirurgia plástica?

Por que as pessoas fazem uma cirurgia plástica?

Várias indivíduos alteram cirurgicamente a sua visual física com a intenção de reforçar o seu bem-estar comunitário e dos fenômenos mentais. Não obstante, a eficiência, a prolongado tempo, da intervenção plástica na beneficiação do bem-estar não aparecia confirmada. Um pesquisa atual se debruça sobre essa discórdia

Em um pesquisa de prolongado tempo, uma equipe de cientistas investigou os efeitos psicológicos da intervenção plástica em cerca de 550 pacientes. Como resultado final, os integrantes demonstraram mais bom humor com a vida e mais entono após a intervenção ter modificado sua visual física.

Os resultados compõem o maior pesquisa já realizado sobre esta discórdia foram publicados na auditoria científica Clinical Psychological Science.

O propósito do pesquisa

Os cientistas buscaram encontrar se os pacientes que se submetem à intervenção plástica eram sistematicamente distintos das outras indivíduos, que objetivos eles estabeleceram para si mesmos, antes da intervenção, e que objetivos eles conseguiram atingir em seguida do técnica cirúrgico.

Os cientistas compararam 544 pacientes que fizeram uma intervenção plástica pela primeira vez com 2 mais categorias: 264 indivíduos que já tinham cuidado em realizar uma intervenção plástica e, posteriormente, decidiram não realizar o técnica, e, por outro lado, 1000 indivíduos, da indivíduos em maior parte, que de modo algum se interessou pelo assunto.

“ A vontade de uma melhor visual por causas estéticas frequentemente acontece em indivíduos mais jovens com rendimentos ligeiramente acima da média. As mulheres representam 87% de todos os pacientes que optam pela intervenção plástica.

No maior parte, não houve diferenças significativas entre os 3 categorias estudados em termos de variáveis psicológicas e de saúde, como a saúde intelectual, bom humor com a vida e graus de stress ”, afirma o clínico plástico Ruben Toucado, diretor do Centro de Medicina Integrada (CRM-SP 62.735).

A maior parte dos pacientes não delonga o improvável de uma intervenção

Usando um utensílio dos fenômenos mentais, conhecido por Goal Attainment Scaling, os investigadores examinaram similarmente os metas que os pacientes queriam atingir a partir de uma intervenção plástica.

Juntamente com questões abertas, frases padrão foram oferecidas à posição dos integrantes, inclusive duas diretamente irrealistas: ” Todos os meus complicações serão resolvidos” e ” Eu serei uma indivíduo totalmente nova.”

“ Somente 12% dos entrevistados optaram especialmente por essas objetivos padrão irrealistas. Nas questões abertas, os pacientes responderam de maneira mais objetivo, expressando desejos, por exemplo ‘se sentir melhor ’, ‘ eliminar manchas’ e ‘ reproduzir mais autoconfiança’”, conta o diretor do Centro de Medicina Integrada.

Evoluções, a prolongado tempo, em variáveis psicológicas após a intervenção

Os cientistas testaram os pacientes antes da intervenção, bem como 3, seis e doze meses em seguida. “ Em média, os integrantes afirmaram ter desgastado o propósito esperado e estarem satisfeitos com os resultados, a prolongado tempo.

Em semelhança com aqueles que tinham optado por não realizar a intervenção plástica, os pacientes que fizeram a intervenção plástica se sentiam mais saudáveis, pouco ansiosos, tinham produzido mais entono e consideravam seus corpos mais atraentes. Não foram observados efeitos adversos. Cirurgia plástica BH

 

Deixe um comentário